Calculator, pen and business document

Gerenciamento de Riscos – Como mensurar e controlar.

Em nosso último tópico sobre riscos, vimos como devemos planejar a resposta aos riscos e identificá-los seguindo os processos definidos pelo PMBOK (Project Management Body of Knowledge) 5ª Edição. Neste terceiro e último tópico sobre a gestão de riscos, abordaremos como mensurar e controlar os riscos.

Para mensurar os riscos, o PMBOK utiliza-se de dois processos: Realizar a análise quantitativa dos riscos e Realizar a análise qualitativa dos riscos.

Realizar a analise qualitativa dos riscos é a avaliação principalmente da probabilidade e impacto do evento. Outros elementos mensurados são o intervalo de tempo para suas respostas e as analises de restrições no custo, prazo, escopo e qualidade do projeto. Para a realização deste processo, são analisados, entre outros fatores, o plano de gerenciamento de riscos e a linha de base do projeto que darão insumos para a avaliação dos seus impactos. A principal ferramenta deste processo é a matriz de impacto e probabilidade. Este sistema classifica os riscos em alto, médio e baixo seja em termos descritivos ou em valores numéricos. Aquelas ameaças ou oportunidades que possuem um alto impacto e probabilidade devem ser arduamente monitoradas pela equipe a ponto de evitá-las ou potencializá-las. A principal entrega deste processo são as atualizações dos documentos do projeto.

FAÇA O NOSSO CURSO DE GES03TÃO DE PROJETOS

Pense gestão

Realizar a análise quantitativa dos riscos é a avaliação numérica dos riscos levantados. Verificando a matriz de impacto, as ameaças ou oportunidades que apresentam maior impacto e probabilidade devem ser observadas de perto a ponto de evitá-las ou potencializá-las. Uma das ferramentas mais eficientes neste processo é a análise do valor monetário esperado (VME), que é um conceito estatístico que avalia os cenários caso eles ocorram ou não. As principais entregas deste processo são a análise estatística dos riscos do projeto e a lista priorizada de riscos quantificada.

Os dois últimos processos do gerenciamento de riscos se referem a Planejar as respostas aos riscos e Controlar os riscos.

O planejamento das respostas ao risco passa pela definição das estratégias como, por exemplo, no caso de ameaças, prevenir, transferir, mitigar ou até mesmo aceitar. Lembre-se que risco pode ser uma oportunidade que pode ser explorada, melhorada ou compartilhada. A decisão correta é tomada através de todos os insumos que foram avaliadas sobre o tema e principalmente sobre a cultura da empresa e seu apetite ao risco.

O controle dos riscos é o processo que de fato implementa as ações, acompanha, monitora, identifica novos riscos e avalia a eficácia das ações tomadas. O principal ponto deste processo é o aprendizado e a melhoria para todo o ciclo de vida do projeto. Neste processo específico, uma de suas possíveis saídas podem ser as solicitações de mudança, que são alterações na linha de base (baseline) do projeto. Estas ações pontuais podem ser corretivas em caso de plano alternativo não mapeado no plano de riscos ou preventivas, a fim de garantir que tudo esteja de acordo com o plano de gerenciamento do projeto.

Desta maneira, abordamos todos os processos do Gerenciamento de Riscos presentes do guia PMBOK. Fiquem ligados para os próximos temas relevantes na área de gestão de projetos que serão disponibilizados no site.

Até a próxima e Pense Gestão.

Felipe Corrêa

Certificado Project Management Professional (PMP®), Scrum Fundamentals Certified (SFC), Engenheiro da Computação formado pela Unicamp e Master in Business Economics pela FGV-SP. Especialista em gerenciamento de projetos e portfólio.

 

Referências

PMBOK – PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. Um guia do conhecimento em gerenciamento de projetos: Guia PMBOK. 5a ed. Project Management Institute, 2013.